Sindicato divulga vídeo de tiros contra agentes e PM em revista na Barreto Campelo

4 Abr 14:35 2018 Por SINDASP Imprimir

Um vídeo divulgado pelo Sindicato dos Agentes de Segurança Penitenciária e Servidores no Sistema Penitenciário do Estado de Pernambuco (Sindasp-PE) é apresentado como prova de que presos atiraram contra agentes penitenciários e policiais militares numa operação de revista na Penitenciária Barreto Campelo, em Itamaracá, onde foram apreendidas oito armas na terça-feira. Para o presidente do sindicato, João Carvalho, o vídeo mostra o grau de risco nos presídios. Para ele, é necessário urgente acréscimo de efetivo, com a convocação dos concursados.

Ainda segundo o presidente do Sindasp-PE, o perigo das unidades prisionais aumenta por  causa das guaritas desativadas, sem PMs, e falta de agentes penitenciários para rondas diárias. “As rondas são trabalho preventivo, porém sem efetivo não está podendo ser feito”, diz João Carvalho, ressaltando que presos não podem se aproximar das guaritas para pegar armas da área externa.

A operação de revista na Penitenciária Barreto Campelo foi realizada conjuntamente por agentes penitenciários e policiais militares e foi criticada por parentes de presos. Para João Carvalho, as queixas se mostram sem fundamento porque ela foi supervisionada. “Os familiares logicamente não aceitam porque vários presos foram transferidos para outras  unidades, que faz com que visitantes tenham se locomover para lugares mais distantes”, avaliou. Quanto aos disparos registrados em vídeo, o presidente do Sindasp-PE acredita que foi uma reação de detentos envolvidos com tráfico para não perder drogas e armas que foram apreendidas.

“Não se pode permitir que presos queiram mandar nas unidades prisionais. A ação devia ser contínua para retirar drogas e armas e reduzir o controle de facções criminosas”, diz João Carvalho. Para ele, as facções controlam crimes de dentro dos presídios para fora das unidades e o alvo é a sociedade. “Combater os ilícitos é enfraquecer as facções, por isso as denúncias para impedir que sejam realizadas novas ações como a da terça-feira. A intenção ao nosso ver é esta para que seja impedida novas revistas”, avalia.

 

Fonte: diariodepernambuco
Por: Osnaldo Moraes
Captura de vídeo-Sindasp-PE/Divulgação

Notícias relacionadas