SINDASP-MG realiza inspeções em unidades da Zona da Mata

17 Ago 09:24 2017 Por SINDASP Imprimir

O SINDASP-MG, representado pelo seu Presidente Adeilton Rocha e pelos Diretores Fábio Carlos, Everaldo Márcio e Daniel Anunciação, realizou uma série de inspeções em unidades da 4ª Risp. Na última segunda (14.08) e terça-feira (15.08), os representantes sindicais estiveram em Ubá, Muriaé, Eugenópolis, Carangola e Ervália onde foram identificados e registrados diversos pontos de atenção para que sejam cobradas soluções por parte do Governo.

Primeiramente, o SINDASP-MG visitou a unidade de Ubá, onde foram recebidos pelo Diretor Geral Alexandre Ferrari. A unidade possui um número de detentos muito acima de sua capacidade: são 126 vagas para 299 presos. Para agravar ainda mais a situação, a unidade, por ordem judicial, também é obrigada a receber menores infratores.

Além da superlotação, que tem sido algo recorrente nas unidades prisionais mineiras, os Agentes seguem a escala de 24x72 sem alojamento para os plantonistas. Além disso, também faltam equipamentos como rádios HT e munições antimotim.

O Governo já anunciou, há algum tempo, a construção de uma nova unidade no município, mas até hoje nada foi feito, mesmo o recurso já estando liberado. Diante da demora, a gestão da unidade tem angariado apoio do Judiciário e do Ministério Público para darem início às obras.

No dia seguinte, a equipe do Sindicato esteve na unidade de Muriaé, onde foram recebidos pelo Diretor Geral da Unidade Rafael Braz e pelo Diretor Adjunto Wilson Luciano de Souza. Logo na entrada, já pode-se perceber que a unidade passa por obras de melhoria. O refeitório está sendo todo reformado e um alojamento está sendo construído para os Agentes. O pátio da unidade é totalmente telado para impedir a entrada de objetos lançados de fora da unidade.

Além disso, a unidade já possui instalado um CFTV (circuito fechado de televisão) com 32 câmeras de monitoramento e um espaço de lavanderia com quatro máquinas novas. As salas de revistas de visitantes da unidade são todas individuais. Graças à atuação da gestão da unidade com apoio do Judiciário e do Município, o Presídio de Muriaé é uma das unidades com melhor estrutura e funcionamento entre as inspecionadas pelo Sindicato.

Após visitar a unidade de Muriaé, o Sindicato esteve no Presidio Feminino de Eugenópolis. Recebido pelo Diretor Geral Francisco Alves, o SINDASP-MG identificou o deficit de Agentes Femininas na unidade. Atualmente, o Presídio conta apenas com sete ASPs Femininas efetivas e 16 em regime de contrato, sendo que nove deles vencem até outubro. Estas, juntamente com 12 ASPs masculinos, são responsáveis pela custódia de 61 presas.

A unidade passa por reformas graças à parcerias com a comunidade e, na proxima semana, será instalado o CFTV conseguido através do Tribunal de Justiça. O trabalho de ressocialização na unidade também funciona bem na unidade, todas as presas já condenadas trabalham e estudam.

A quarta unidade visitada pelo Sindicato foi o Presidio de Carangola, no qual a superlotação também é preocupante: são 49 presos para 24 vagas. A unidade esta interditada para recebimento de novos presos desde sua assunção.

A equipe do SINDASP-MG também identificou a falta de equipamentos como radios HT e munições antimotim, além do deficit de pessoal.

A equipe então se deslocou para a Unidade de Ervália, que também passa por reformas com o apoio da Prefeitura e do Judiciario local. O Sindicato foi recebido pelo DG Ruy Freitas, que apresentou a unidade e conversou com os representantes.

Não diferente dos demais, o Presídio também apresenta problemas de superlotação e deficit de Agentes. Apesar de adotar a escala 24x72, a unidade não possui alojamento para os plantonistas.

Por fim, o SINDASP-MG registrou todas as demandas e encaminhará o relatorio aos orgãos responsáveis cobrando as devidas providências. As demais unidades da 4° Risp serão inspecionadas na primeira quinzena de setembro.

Notícias relacionadas