SINDASP-MG junta-se aos demais servidores da Segurança Pública em manifestação contra o parcelamento do 13º

1 Fev 17:44 2019 Por SINDASP Imprimir

O SINDASP-MG, representado pelo Presidente Adeilton, pelo Vice-presidente Wanderson, pelos Diretores Daniel e Carlos Alberto e pelo Delegado Sindical Higor Xavier, de Ipaba, participou, hoje (01.02), da manifestação unificada dos servidores públicos. Agentes Penitenciários na região metropolitana e do interior juntaram-se às demais forças da Segurança Pública (Agentes Socioeducativos, Policiais Civil e Militar) protestando contra o parcelamento do 13° salário. Os servidores da segurança e de outras categorias se reuniram em frente à Assembleia Legislativa de Minas Gerais para chamar atenção da imprensa, da sociedade e dos parlamentares durante a posse dos deputados eleitos.

Com a ALMG isolada para o evento de posse, os manifestantes deram a volta no prédio e sairam em passeata pelas ruas gritando palavras de ordem, com faixas e caminhão de som, chamando a atenção dos presentes para a situação do funcionalismo público que, sem reajustes e com salários atrasados há mais de quatro anos, agora vêem a nova gestão parcelando o 13º salário em 11 vezes.

Os membros da Segurança Pública alertaram que, até o momento, seguem exercendo seus trabalhos com maestria e garantindo a segurança da população, mas que, se não forem atendidos, paralisarão suas atividades e provocando o caos no Estado.

Ao assumir a palavra, o Presidente do SINDASP-MG mandou um recado ao Governador Romeu Zema: “Estamos apenas começando”. Adeilton reforçou que esta é apenas a primeira de muitas lutas travadas pelos servidores que, hoje, exigem o pagamento integral do 13º, em seguida, o pagamento no 5º dia útil e assim, sucessivamente, irão exigir todos seus direitos que estão sendo descumpridos pelo Estado.

O Diretor Daniel também aproveitou a ocasião para cobrar ações dos parlamentares que tomavam posse naquele momento: “temos deputados da segurança pública tomando posse na Assembleia hoje, nós queremos ver a atuação destes em prol do reconhecimento e valorização dos servidores da Segurança Pública”.

Em dado momento, os manifestantes do funcionalismo público também somaram e deram apoio ao ato contra a Vale e em homenagem às vítimas da tragédia de Brumadinho, que acontecia concomitantemente na porta da Assembleia.

Por volta das 16h, os servidores da Segurança seguiram para a Praça Sete e continuaram o protesto em meio às ruas de Belo Horizonte. No trajeto, os manifestantes impediam o trânsito e chamavam atenção das pessoas que passavam no entorno e dos motoristas. Na Praça Sete, foram queimados caixões e, novamente, deixada a mensagem ao Governador: se o Estado não rever a questão do parcelamento do 13º, a Segurança Pública irá parar, inclusive o Sistema Prisional.

Notícias relacionadas