Nota de Esclarecimento

19 Dez 17:54 2016 Por SINDASP Imprimir

O SINDASP-MG vem por meio desta nota prestar esclarecimentos sobre a participação no movimento de hoje (19.12) organizado pelos MILITARES. Primeiramente, temos que entender o objetivo dos recentes movimentos da Segurança Pública.

O SINDASP-MG, através da Fenaspen, participa de um movimento NACIONAL contra a inclusão dos profissionais de segurança pública tanto no PLP nº 257/2016 - que trata da renegociação da dívida pública dos estados com a União e causa grandes prejuízos ao funcionalismo público como o congelamento dos salários e das progressões em planos de cargos e carreiras, dentre outras medidas – quanto na PEC nº 287/2016 – que trata da Reforma Previdenciária e engloba pontos altamente prejudiciais à aposentadoria do servidor, como estabelecimento de uma idade mínima de 65 anos, inclusive para aqueles que já forem servidores ativos.

Os militares conseguiram a retirada somente deles do texto da PEC nº 287, a nova reivindicação segue na mesma linha: a retirada exclusivamente dos MILITARES da PL nº 257/2016. Enquanto isso, o SINDASP-MG segue mobilizado em Brasília para a construção e aprovação de uma proposta única de aposentadoria DOS POLICIAIS DO BRASIL (AGENTES PENITENCIÁRIOS, PFF/GM/PRF/PF/PC/PCN) E PROFISSIONAIS DA SEGURANÇA PÚBLICA INSERIDOS NO ART.144 CF.

Estamos junto com estas categorias e, através da Federação, faremos uma mobilização nacional que deliberará, no dia 26 de janeiro de 2017, sobre uma paralisação Nacional de atividades no Sistema Penitenciário e aprovar “Estado de Greve”, por tempo indeterminado, no Sistema Penitenciário em todos os Estados Brasileiros.

Também vai oficializar o Governo do Estado para a retirada dos Agentes de Segurança Penitenciária da PL 257/2016 e, caso não haja um retorno, será feita uma paralisação geral com foco na Segurança Pública.

Ressaltamos que é necessário que tenhamos FOCO em nossos objetivos. Os MILITARES estão focados nos objetivos deles. Vamos fazer a NOSSA LUTA para conseguirmos a retirada da Segurança Pública como um todo destes pacotes de afronta contra o funcionalismo público.

Notícias relacionadas