Estado terá que arcar com os requisitos para liberação de armas de calibre restrito

8 Mar 11:29 2019 Por SINDASP Imprimir

Em resposta às cobranças do SINDASP-MG levadas pelo Diretor Carlos Alberto em reunião com o Delegado da Polícia Federal, Dr. Bruno Eduardo de Oliveira Lopes, no tocante à demora na liberação de armas de calibre restrito adquiridas recentemente e à exigência dos tiros e exames psicotécnicos providenciado pelos próprios Agentes, o Delegado informou que a questão será solucionada com base no parecer da Divisão de Estudos, Legislações e Pareceres (DELP) ao Governo do Ceará que passa a responsabilidade dos requisitos da liberação para o Estado.

Dessa forma, o Delegado informou que, na próxima quarta-feira irá encaminhar um ofício para o subsecretário autorizando a emissão das autorizações nos mesmos moldes do parecer dado ao Governo do Ceará ficando, a partir de então, o Estado responsável por fornecer a estrutura para o exame de aptidão técnica (Local, Exame e Instrutor) bem como o atendimento ao servidor para atestado psicológico. Graças às cobranças do SINDASP-MG junto ao Delegado da PF, os Agentes Penitenciários não precisarão arcar com os tiros e os exames psicotécnicos exigidos.

 
 

Notícias relacionadas