A crise penitenciária e o oportunismo dos antagonistas

16 Jan 09:48 2017 Por SINDASP Imprimir

Aproveitando o cenário de crise nas prisões brasileiras, surge os antagonistas oportunistas em conluio com um ex-diretor, que na carona dos eventos atuais buscam a todo custo desestabilizar a atual gestão do Presídio Antônio Dutra Ladeira.

Nota-se um ambiente de recondução da autoridade e o resgate da autoestima dos agentes naquela unidade prisional, e isso incomoda muito os presos e os humanistas oportunistas de plantão. Mas a antiga gestão clientelista recheada de regalias teve um basta, e isso soa nos pavilhões como o reinício, o que era antes da chegada do "paizão": o status quo.

Nesse diapasão, a retomada do controle da unidade é a palavra de ordem, mesmo contrariando os interesses de alguns.

Em meio a insatisfação propositadamente deflagrada, aparece um advogado conhecido no meio prisional que aproveita o cenário de crise para cavar a volta da antiga diretoria da Dutra, sob o forte argumento que a atual gestão será o pivô de derramamento de sangue e rebelião no presídio, e o que é pior, insuflando o cárcere e deturpando os acontecimentos.

Não satisfeito com a saída do antigo diretor, conforme manifestação no whatsapp , o advogado expressou a sua indignação contra a exoneração, e como não bastasse, condenou a gestão atual com base em falácias e acusações falsas alimentadas pelo exonerado.

Há muito tempo sofremos ataques dessas pessoas intituladas como defensores dos direitos humanos. Quando os irmãos, 
Vivian Cristina Medeiros, Luciano Lucas dos Santos e Edson Ferreira da Silva foram brutalmente executados em Uberlândia e Uberaba, não vimos, o advogado representante do direitos humanos, cobrar das autoridades apuração dos assassinatos, e muito menos, prestar auxílio aos familiares das vítimas.

Enfim, querem pegar um gancho nos últimos episódios da crise penitenciária e trazer o ex- diretor de volta e com isso fortalecer a projeção da comissão e de seu representante na comunidade carcerária.

"Os fins justificam os meios"

Isso não aceitaremos.

Sindicato dos Agentes de Segurança Penitenciários do Estado de Minas Gerais

Notícias relacionadas